domingo, 16 de abril de 2017

Lawrence Kasdan – “O Beijo” / “French Kiss”


Lawrence Kasdan – “O Beijo” / “French Kiss”
(EUA/Inglaterra – 1995) – (111 min./ Cor)
Meg Ryan, Kevin Kline, Timothy Hutton, Jean Reno, François Cluzet, Suzan Anbeh.

Após a feitura de “Wyatt Earp”, Lawrence Kasdan, não meteu férias e com a ajuda da, então, “namorada da América” Mrs. Meg Ryan, decidiu regressar à comédia, ou não fosse a actriz, um dos maiores nomes da comédia americana, mas que também já elegeu o melodrama como género ao ser a protagonista de “When a Man Loves a Woman” / “Quando um Homem Ama uma Mulher”, para provar as suas capacidades dramáticas, sendo o resultado excelente.
Meg Ryan decidiu continuar a explorar o melodrama e quando decidiu participar na película “Prova de Vida” / “Proof of Life” ao lado de Russell Crowe, nunca poderia imaginar, que pouco tempo depois iria separar-se do seu marido, o actor Dennis Quaid.


Em “O Beijo” / “French Kiss”, Meg Ryan irá surgir também como produtora e, como não podia deixar de ser, Lawrence Kasdan convida de novo Kevin Kline para interpretar essa figura “charmosa” e vigarista, o inesquecível Luc Teyssier, um ladrão de jóias francês, muito pouco sofisticado, bastante mal vestido, com a barba por fazer e cabelo muito pouco penteado e a necessitar urgentemente de um frasco de shampoo.


Kate (Meg Ryan) encontra-se perdidamente apaixonada pelo distinto médico Charlie (Timothy Hutton), que parte para Paris e nunca mais regressa, para junto da sua noiva. Desesperada Kate decide partir para Paris, mas a sua fobia de viajar de avião é um problema, até que este é resolvido pelo hilariante gentleman sentado a seu lado, Monsieur Luc Teyssier, um magnifico Kevin Kline, que até nos faz esquecer o Joet Boca de “Amar-te-ei Até te Matar” / “I Love You To Death”.


O nosso amigo Luc Teyssier vai usar Kate para fazer passar na alfândega as jóias roubadas que transporta consigo, perante o olhar felino do inspector Jean-Paul Cardon (Jean-Reno), que não lhe irá dar tréguas ao longo do filme e para complicar as coisas, ainda mais, a preciosa mercadoria será perdida para as mãos de um outro larápio de “segunda divisão”, o azarento Bob (François Cluzet) bem conhecido da polícia e dos seus colegas de profissão, levando Luc Teyssier ao desespero.


Este estranho par irá unir esforços em busca das jóias e do misterioso Mr. Charlie (Timothy Hutton), que está apaixonado pela bela Juliette (Suzan Anbeh), razão porque adia eternamente o seu regresso ao continente americano, mas quem se acaba por se apaixonar mesmo, será o par mais politicamente incorrecto que o cinema nos ofereceu.


“O Beijo” / “French Kiss” possui toda a sua magia nas interpretações de Kevin Kline e Meg Ryan, os diálogos entre ambos são soberbos, a par de um argumento verdadeiramente delirante  de Adam Brooks e de uma realização eficaz ou não se chamasse o seu realizador Lawrence Kasdan.
Esta deliciosa película é uma das mais belas comédias de finais do século xx, sempre com um olhar homenagem aos duelos entre os sexos, que celebrizaram as comédias do cinema clássico. A ver e (re)ver!

2 comentários: