terça-feira, 18 de abril de 2017

Jim Sheridan – “Entre Irmãos” / “ Brothers”


Jim Sheridan – “Entre Irmãos” / “ Brothers”
(EUA – 2009) – (105 min. / Cor)
Jake Gyllenhall, Natalie Portman, Tobey Maguire, Sam Shepard, Mare Winningham.

O cineasta irlandês Jim Sheridan deu logo nas vistas no interior da Sétima Arte ao realizar “O Meu Pé Esquerdo” / “My Left Foot: The Story of Christy Brown”, proporcionando a Daniel Day-Lewis a obtenção do Oscar para o Melhor Actor. Os seus filmes seguintes entre os quais se destacam “O Boxeur” / “the Boxeur” e “Em Nome do Pai” / “In The Name of Father”, confirmaram as potencialidades deste realizador irlandês, nascido em Dublin.


“Entre Irmãos” / “Brothers” é um “remake” de uma película irlandesa de Susanne Bier, que realizou o filme segundo as regras do famoso “dogma”, tão querido dos cineastas dinamarqueses. Já Jim Sheridan, perfeitamente integrado dentro da indústria cinematográfica, irá transportar este drama familiar para o interior das célebres “little town” americanas, revelando uma excelente direcção de actores, já que ao vermos o nome de Tobey Maguire no elenco, pensamos tratar-se de um erro de “casting”, terminando o actor, celebrizado pelas películas de Sam Raimi de “O Homem-Aranha”, por nos revelar todas as suas potencialidades como actor dramático.


Tal como o Vietname serviu de palco a inúmeros filmes norte-americanos ao longo do século xx, nestes últimos anos o longínquo Afeganistão e o Iraque tem servido de palco a diversas películas saídas dos Grandes Estúdios Americanos.
Desta feita iremos descobrir uma típica família norte-americana, os Cahill, em que um dos membros, o capitão Sam Cahill (Tobey Maguire), é destacado para o Afeganistão, sendo dado como morto. A terrível notícia irá esmagar a família, mulher, pais, filhas e o irmão Tommy (Jake Gyllenhall), que recentemente saíra da prisão e não colhe os amores do pai (Sam Shepard, sempre excelente).


A notícia da morte irá fazer com que Tommy mude de atitude perante a sociedade e a família, ocupando o lugar vago pelo irmão, na casa deste, revelando-se um tio extremoso e um bom companheiro para a cunhada Grace (Natalie Portman).
No entanto Sam permanece vivo, ficando prisioneiro dos Taliban, tal como um dos soldados que o acompanhavam na missão.


A forma como Jim Sheridan nos relata o seu cativeiro e as atrocidades sofridas, pelos dois soldados prisioneiros dos Taliban, esmaga o espectador e quando sabemos que Sam, para permanecer vivo, teve que matar o seu companheiro de infortúnio, percebemos que esse trauma o irá acompanhar para sempre.
Mas quando este regressa a casa, para grande alegria de todos, irá perceber de imediato o papel desempenhado pelo irmão na sua ausência e quando uma das filhas lhe diz que prefere a companhia do tio à dele e que o irmão faz imenso sexo com a mãe, o drama irá colocar os dois irmãos à beira do abismo, perante o enorme desespero de Grace (Natalie Portman), terminando Sam por confessar a Grace o seu terrível segredo.

Jim Sheridan durante a rodagem do filme.

“Entre Irmãos” / “Brothers” narra-nos assim os conflitos existentes no interior da sociedade americana e no seio das próprias famílias provocado pela intervenção do mundo ocidental no conflito Afegão, ao mesmo tempo que nos relata o horror dessa guerra interminável, que tantas vidas tem ceifado ao longo dos anos.
Jim Sheridan conduz com mão firme este filme, sendo as interpretações de todo o elenco bem seguras, destacando-se Jake Gyllenhall, que mais uma vez revela ser um dos melhores actores da sua geração.

Sem comentários:

Enviar um comentário