sexta-feira, 21 de abril de 2017

George Marshall – “O Forte das Mulheres Perdidas” / “The Guns of Fort Petticoat”


George Marshall – “O Forte das Mulheres Perdidas” / “The Guns of Fort Petticoat”
(EUA – 1957) - (82 min. / Cor)
Audie Murphy, Kathryn Grant, Hope Emerson.

No genérico inicial de “O Forte das Mulheres Perdidas” / “The Guns of Fort Petticoat”, surge “Audie Murphy Presents” e desde logo convém falar um pouco deste actor que elegeu o “western” como a sua casa, ficando célebre o retrato que fez no cinema do conhecido Billy the Kid, tantas vezes passado ao grande écran. Por outro lado, nunca é demais recordar que Audie Murphy foi o militar americano mais condecorado da Segunda Grande Guerra, tendo visto as suas façanhas passadas ao cinema, interpretando a sua própria figura no conflito de 1939-1945, tornando-se num dos ídolos das multidões desse tempo. Mas nem só de “western” foi feita a carreira deste popular actor, já que também participou em filmes como “O Americano Tranquilo” / “The Quiet American” de Joseph Mankiewicz e “Sob a Bandeira da Coragem” / “The Red Badge of Courage” de John Huston.


“O Forte das Mulheres Perdidas” / “The Guns of Fort Petticoat” conta-nos a história do Tenente Frank Hewitt (Audie Murphy), que embora seja do sul, Texas, se encontra ao serviço do norte na famosa guerra civil americana, estando destacado numa zona onde as tropas nortistas controlam os movimentos das tribos índias. E será após o seu comandante hierárquico, o coronel Chivington decidir atacar uma aldeia índia, apenas com mulheres e crianças, provocando um terrível massacre, em virtude dos guerreiros índios terem saído da reserva para caçar, que Frank Hewitt decide desertar para avisar as populações da zona onde outrora vivera que se encontra iminente um ataque índio, como vingança pelo massacre sucedido, de acordo com essa máxima do Oeste Americano: “olho por olho, dente por dente”.


Devido à guerra civil na região, só se encontram mulheres e crianças na zona e será com elas que ele irá enfrentar os índios, no interior da missão, para onde todos se refugiaram, comandando ele essas mesmas mulheres como se elas fossem homens.
Ao longo do filme iremos encontrar o mais diversificado tipo de mulheres, oriundas de diversas classes sociais, ao mesmo tempo que iremos assistir a diversos duelos entre elas pela supremacia no terreno, revelando-nos George Marshall uma viagem exemplar pela figura feminina no interior do “western”.


“The Guns of Fort Petticoat” / “O Forte das Mulheres Perdidas” revela-se assim como um sucedâneo da famosa Série-B, que na época chegava ao fim do seu caminho no interior das salas de cinema, construindo George Marshall um “western” bem diferente do habitual, ao qual não faltou o herói, o célebre Audie Murphy, que produziu a película e que no final irá ser reintegrado no exercito e absolvido por todas aquelas mulheres, que viam com muito maus olhos a sua luta ao lado das forças nortistas, contra as gentes do sul, a sua terra natal, sendo o coronel Chivington preso pelo massacre efectuado na reserva índia. Um filme que merece uma visita!

4 comentários:

  1. Respostas
    1. O western na famosa série-B. Simplesmente fabuloso!
      Bom dia!

      Eliminar
  2. Acho que o vi há muitos anos na televisão e gostei - houve uma altura em que gostava muito do género, quer pelos filmes que passavam na televisão, quer livros.
    um beijinho e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi o filme recentemente e se ainda gosta do género o canal AMC tem estado a passar excelentes "westerns", muitos verdadeiramente desconhecidos, mas com actores bem conhecidos, como John Wayne, Henry Fonda, James Stewart, Gregory Peck entre outros, para além de outras preciosidades, género "Guys and Dolls" / "Eles e Elas" com o Marlon Brando a cantar/dançar com o Frank Sinatra, sempre no formato correcto. O único senão é que passam de madrugada e assim só está disponível para quem tem box ou seja noctívago.
      Um bom fim-de-semana
      Beijinhos!

      Eliminar