terça-feira, 14 de março de 2017

Paul Auster - "Lulu On The Bridge"


Paul Auster
“Lulu On The Bridge”
Edições Asa, Pag. 235

“Lulu On The Bridge” é o título do terceiro filme assinado pelo escritor Paul Auster, tendo os dois primeiros, “Fumo” / “Smoke” e “Fumo Azul” / “Blue in the Face”, sido realizados em conjunto com o cineasta Wayne Wang. Este belo livro oferece-nos precisamente o argumento na sua totalidade, tal como foi escrito na origem por Paul Auster ou seja incluiu algumas cenas que terminariam por ser cortadas na mesa de montagem, como sucede sempre após a rodagem de uma película e se parte para a sala de montagem. Curiosamente, um dos actores pensados para este filme, que se revelou ser o melhor de toda a filmografia do escritor até à presente data, na minha opinião, foi o escritor Salman Rushdie, mas na época pendia sobre a cabeça do autor dos “Versículos Satânicos” a célebre “fatha” iraniana e a Companhia de Seguros pediu a Paul Auster uma verba que se revelou ser superior à que seria despendida na feitura da película, terminando por ser o excelente actor Wilhem Dafoe a vestir a pele da personagem inquisidora do filme. Como muitos devem estar recordados, Salman Rushdie, alguns anos depois, regressou à vida plena e surgiu no primeiro filme de Bridget Jones. Mas regressando a este “Lulu On The Bridge”, de Paul Auster, estamos perante uma obra que se lê como um romance e que só conseguimos largar ao chegarmos à última página e percebermos o destino que está reservado a Izzy Maurer (Harvey Keitel), um saxofonista de jazz que se encontra a actuar num clube em Nova Iorque e é atingido por uma bala, ficando gravemente ferido  e entre a vida e a morte, entrando nesse território em que o sonho antecede a morte, mas por vezes também a vida. Estamos na verdade perante uma leitura com todos os ingredientes habituais das obras de Paul Auster e este belo livro, que se encontra profundamente ilustrado com imagens do filme, incluindo uma planificação, oferece-nos ainda um conjunto de diversas entrevistas que se revelam um verdadeiro Making of de “Lulu On The Bridge”, temos assim uma longa entrevista com Paul Auster, para além de outras com o director de fotografia Alik Sakharov, a directora artística Kalina Ivanov, a directora de guarda-roupa Adelle Lutz, o responsável pela montagem da película Tim Squyres e o produtor Peter Newman, ou seja num livro terminamos por ter dois livros, um para os leitores de Paul Auster e outro para os cinéfilos. E ao terminar a leitura de “Lulu On The Bridge”, tenho a certeza que vai desejar ver o filme que dele nasceu com Harvey Keitel, Mira Sorvino, Wilhem Dafoe  e Gina Gershon nos protagonistas.



“VOZ DE MULHER”

“Izzy, atende lá o raio do telefone! É a Hannah, por amor de Deus! Lembras-te de mim? Já estivemos casados. Nos velhos tempos. Quando os cavalheiros eram corajosos e os miúdos eram ousados… e ainda não tinham inventado as balas. (Pausa) Telefona-me, Maurer, quero saber como estás.”


Paul Auster in “Lulu On The Bridge”

2 comentários:

  1. Harvey Keitel sempre bem, qualquer que seja o papel que faça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Harvey Keitel que já tinha trabalhado com Paul Auster oferece-nos mais uma vez todo o seu talento, numa interpretação bem diferente do habitual: um filme mágico!

      Eliminar