segunda-feira, 20 de março de 2017

Paul Auster - "Leviathan"


Paul Auster
“Leviathan”
Asa, Pag. 219

Numa época em que a América é o tema de todas os noticiários e Paul Auster viu finalmente o seu romance “4,3,2,1” editado em simultâneo no Planeta, nada melhor do que falarmos de um outro livro do escritor, porque para escrever este Auster durante os dois últimos anos ofereceu-nos o seu “Diário de Inverno” e um livro extremamente interessante respeitante à sua correspondência com o escritor sul-africano J. M. Coetzee, intitulado “Here and Now – Letters 2008 – 2011”, que por razões que a própria razão desconhece, os editores portugueses fecharam os olhos à sua edição por terras lusas e como leitor de Paul Auster, desde a “Trilogia de Nova Iorque” tive que me socorrer de uma edição britânica, que desde já recomendo. Mas o que nos interessa aqui é “Leviathan”, um livro escrito em 1992, que nos narra a história de um promissor romancista chamado Benjamin Sachs, que se fez explodir e do seu amigo Peter Aaron que decide descobrir as razões que o levaram a fazer isso e a matar Reed DiMaggio. Este belo livro que me entrou em casa no Natal de 1993 e que já teve diversas reedições e leituras aqui do escriba, bem merece ser revisitado neste século xxi em que ao andarmos pela estrada fora nunca sabemos se nos iremos cruzar com este fantasma…


“Há seis dias um homem explodiu à beira de uma estrada no Norte do Wiscosin. Não houve testemunhas mas aparentemente ele estaria sentado ao lado de um carro estacionado na erva quando a bomba que estava a construir rebentou acidentalmente. Segundo o relatório judicial que acaba de ser divulgado, teve morte instantânea. O seu corpo desfez-se numa quantidade de pedaços e foram encontrados fragmentos do seu cadáver a uma distância de quinze metros do sítio da explosão”.

Paul Auster – “Leviathan”

2 comentários:

  1. Passei para agradecer a sua visita e presença no meu cantinho.
    Muitos parabéns pelo seu blogue, onde a cultura se faz 100% presente. Irei começar a divagar por aqui.
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço as suas amáveis palavras e retribuo os parabéns pelo seu blogue que só agora descobri:)
      Muito boa noite!

      Eliminar