segunda-feira, 20 de março de 2017

Brian Eno - "Thursday Afternoon" (61 - Minute Version)


Brian Eno
“Thursday Afternoon” (61 - Minute Version)
Virgin

Por vezes existe uma bela história por detrás da edição de uma obra discográfica, sendo precisamente o que existe com “Thursday Afternoon” de Brian Eno.
Em Abril de 1984 foi produzido um vídeo com obras da pintora Christine Alicino e música da autoria de Brian Eno, que foi criado para ser visto deitado de lado num sofá, ou seja, ao estarmos deitados nessa determinada posição vimos as imagens de forma perfeita e directa, para o nosso ângulo de visão. Recorde-se que nesta época, década de oitenta do século xx, iniciou-se a exploração cultural da denominada vídeo-art.

Com o nascimento do “compact disc”  e o respectivo sucesso do formato, Brian Eno decidiu criar uma versão de 61 minutos, para ser editada em cd, nascendo assim “Thursday Afternoon” (61 minute version), onde mais uma vez as directrizes que deram origem a obras como “Music For Airports”, que já aqui abordámos e “Discreet Music”, também já aqui visitada, deram origem ao nascimento do terceiro capítulo da série baptizada por Brian Eno como “Thinking Music”, um ciclo musical ideal para o acompanhamento da leitura ou simples meditação.


Mais uma vez a música envolvente e melódica de Brian Eno, surge-nos de forma perfeita no cruzamento das diversas texturas criadas por ele na companhia do músico canadiano Daniel Lanois, habitual colaborador do músico britânico durante a década de oitenta, do século xx, e aos quais se juntou, os célebres movimentos nocturnos do piano acústico do seu irmão Roger Eno, sempre muito influenciado, (no bom sentido da palavra), pela herança musical de Erik Satie, sendo ainda de referir que na parte final da feitura deste maravilhoso trabalho discográfico se juntou o guitarrista e compositor Michael Brook, no tratamento das (re)misturas dos sons, um trabalho sempre levado a efeito com enorme sentido de criatividade.

“Thursday Afternoon” (61 minute version) revela-se um maravilhoso mergulho hipnótico no interior da música ambiental de Brian Eno, transmitindo-nos uma paz e uma serenidade bem acolhedoras, neste século XXI, em que vivemos. Uma obra musical para ser escutada/vivida na companhia do ser amadoJ.

Sem comentários:

Enviar um comentário